O AMOR E A CARÊNCIA

KSAL
 
Carência é a urgência de amar.Não é certo usar alguém como “tapa-buracos” para preencher os vazios que existem no seu coração. Usar uma pessoa para esquecer outra é a forma mais abominável de ser egoísta, você acaba machucando alguém que não tem nada a ver com o seu passado e muito menos com suas mágoas e frustrações. O outro não é um antibiótico para sanar a febre que o antigo “amor” lhe causou,nem é um curativo pra você colocar por cima das feridas do seu coração. Não é justo trazer um novo soldado pra essa guerra dentro de você.Confundir amor com carência é pura ignorância,e se você ainda faz essa confusão certamente nunca amou de verdade.O amor é algo genuíno que vem de mansinho quando menos esperamos,nos rouba sorrisos,tira o sono e trás paz pro coração.Não é algo que encontramos no primeiro corpo e rosto bonito que avistamos por ai,se fosse fácil assim nem teria graça. Também não é algo que vamos encontrar ao vasculharmos o passado pra ter certeza que não deixamos ninguém escapar do nosso coração.Porque quando é amor,simplesmente não escapa.O amor é a certeza que só uma pessoa encaixa perfeitamente dentro do nosso coração,é não ter dúvidas nem fazer confusão,é fácil,leve e prazeroso. A carência é o medo da solidão. É a urgência de ter alguém por perto só pra sensação de vazio não durar a semana inteira,é a necessidade de ouvir um “bom dia” pela manhã e um “dorme bem” antes de ir deitar vindo de qualquer pessoa. Mas tem que vir,senão a sensação de vazio volta cada vez mais forte. É preciso ser cauteloso para saber quando não estamos usando alguém para disfarçar nossos vazios. E é de suma importância saber dar e receber amor quando ele vier. Não é preciso ser um romântico para saber diferenciar esses dois sentimentos,só é preciso senti-los e  isso é inevitável.Uma coisa é certa, quem não morre de amor,”vive” de carência.